Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



BRASIL - OPORTUNIDADES E DIFERENCIAIS COMPETITIVOS

A educação é o tema mais importante para a sociedade brasileira. Fábio Barbosa, presidente do Conselho de Administração do Banco Santander e presidente da Febraban (´A importância de participar´. Folha de S. Paulo, São Paulo, 17 jul. 2011, p. B7).

A atual dimensão da economia brasileira é consequência do esforço e da dedicação da nossa sociedade, em especial da nossa classe empresarial. É também resultado de um conjunto de políticas públicas equilibradas e bem sucedidas adotadas ao longo dos últimos anos, disse Alexandre Tombini, presidente do Banco Central do Brasil, em cerimônia realizada em 06 jul. 2011 por ocasião do lançamento da 38ª edição de “Melhores e Maiores” da Revista Exame (Disponível em: < http://www.bcb.gov.br/textonoticia.asp?codigo=3145&IDPAI=NOTICIAS >. Acesso em: 10 jul. 2011).

2. Essa combinação de políticas públicas permitiu à nossa sociedade alcançar importantes conquistas no âmbito econômico:

- o Brasil de hoje cresce de forma sustentável e em ritmo mais elevado em comparação ao passado;

- o setor público conseguiu nos últimos anos reduzir o seu endividamento líquido;

- contamos atualmente com um colchão de reservas internacionais superior a US$ 335 bilhões, e este colchão dá suporte ao nosso processo de internacionalização, contribui na redução dos custos de riscos de empresas e do governo em suas captações externas e protege a nossa economia dos efeitos perversos de choques externos;

- reduzimos a nossa dívida externa; hoje somos credores internacionais;

- temos atualmente um mercado de crédito dinâmico de quase metade do nosso Produto Interno Bruto – PIB;

- o Brasil é hoje grau de investimento, com perspectiva de nossa classificação continuar melhorando, mesmo num mundo onde importantes economias maduras estão observando sucessivos rebaixamentos de classificação de risco.

3. Tais conquistas de cunho econômico e as políticas públicas de inclusão social adotadas pelo governo nos últimos anos permitiram ao Brasil alcançar também importantes conquistas sociais:

- mais de 20 milhões de brasileiros superaram a linha da pobreza;

- mais de 35 milhões de brasileiros ascenderam à classe média; e

- a desigualdade foi significativamente reduzida: o Índice de Gini do Brasil, importante indicador de desigualdade, tem hoje o menor nível dos últimos 30 anos.

4. Enfim, todas mencionadas conquistas contribuíram para a sociedade brasileira desfrutar hoje do mais elevado nível de bem estar das últimas décadas.

5. O governo da presidenta Dilma Rousseff está empenhado na realização de uma agenda capaz de permitir ao nosso País crescer a um ritmo maior, de forma sustentável. Esta agenda engloba várias ações, dentre as quais:

- a erradicação da pobreza extrema;

- a melhoria da educação, em todos os níveis;

- a ampliação do investimento público e privado na infraestrutura; e

- a ampliação das fontes de financiamento privado de médio e longo prazos.

6. O Banco Central tem um papel importante na criação das condições necessárias ao crescimento do Brasil num ritmo maior, de forma sustentável. Esse papel é desdobrado em duas missões básicas: assegurar inflação baixa no médio e longo prazos e um sistema financeiro sólido.

7. A confiança da sociedade na permanência de inflação baixa no médio e longo prazos é condição necessária para a ampliação dos horizontes de planejamento das empresas e das famílias. E a certeza de inflação baixa, combinada com um sistema financeiro sólido, capaz de absorver a poupança e canalizá-la de forma eficiente e segura, ao financiamento, virá a permitir a ampliação do investimento, da produção, do nível de emprego e da renda.

8. Inflação baixa é uma conquista do povo brasileiro e se tornou uma exigência da nossa sociedade. E é um compromisso deste governo.

9. Reafirmando o compromisso assumido, o governo pôs em prática uma ampla e consistente coordenação das ações de política econômica com o objetivo de conter as pressões conjunturais e assegurar a inflação baixa no médio e longo prazos. Decorrido pouco mais de 6 meses, já observamos os primeiros resultados. A inflação já está convergindo e estará no centro da meta em 2012.

10. Olhar para frente, com a certeza de uma inflação menor, será um componente essencial do processo de decisões estratégicas das empresas nos próximos meses. Fundamental para preservar a competitividade nos próximos anos.

11. Nossas perspectivas são excelentes.

12. Somos uma das poucas economias de porte ainda com possibilidade de beneficiar-se do bônus demográfico. Podemos aproveitar para avançar em desafios estruturais, tornar mais eficiente a alocação dos recursos e aumentar a produtividade da nossa economia. Só assim será possível obtermos um crescimento ainda mais robusto no futuro.

13. Além disso, contamos com diversas oportunidades de investimentos e diferenciais competitivos, como por exemplo:

- o petróleo da camada do pré-sal;

- a necessária ampliação e modernização da nossa infraestrutura;

- a existência de grandes reservas de ´commodities´ minerais;

- a vasta área cultivável e oportunidades de aumento da produção agropecuária, inclusive com elevação da produtividade; e ainda

- os eventos esportivos internacionais, propiciadores de inúmeras oportunidades de investimento e realização de negócios em diversos segmentos da atividade econômica.

14. Inflação baixa, sistema financeiro sólido, perseverança nas políticas macroeconômicas e nos avanços institucionais serão essenciais para alcançarmos as conquistas almejadas para o Brasil do futuro. Não menos importante também será o País poder contar, cada vez mais, com empresas inovadoras e vencedoras.