Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



VINHOS NEOZELANDESES

Em apenas 15 anos, a partir de 1985, a Nova Zelândia conseguiu apresentar uma coleção de vinhos de classe internacional, elaborados com qualidade e consistência, bem assim com técnicas de produção das mais modernas.

A produção total ainda é pequena. As uvas brancas "chardonnay" e "sauvignon blanc" correspondem a mais da metade da área plantada do país, e os vinhos brancos são superiores aos tintos.

Os vinhos "sauvignon blanc", por sua qualidade, estão virando a marca registrada da Nova Zelândia: são padrão de referência mundial pelas suas características de riqueza e concentração de sabores e aromas, frescor, persistência e classe.

Os vinhos "chardonnay", com tipicidade bem definida, são em geral muito bons (complexos e frutados).

Os vinhos tintos "pinot noir" também estão impressionado bem.

A indústria é dominada por três grandes vinícolas, todas com linha de vinhos de alta qualidade: Montana, Corban's e Villa Maria. A Montana produz a metade do vinho da Nova Zelândia. A Universidade de Adelaide, na Austrália, contribuiu para a qualificação de muitos enólogos e de mão-de-obra para a indústria vinícola neozelandesa.

As principais regiões vinícolas são: Marlboroug, a mais destacada, pioneira na produção do "sauvignon blanc", onde essas uvas amadurecem quase à perfeição; Hawke's Bay, produtora dos melhores tintos; Auckland/Northland, produtora de brancos e tintos; Wairarapa, produtora de excepcionais "pinot noir"; Nelson, produtora de ótimos "chardonnay", talvez os melhores do país; Otago, produtora de "pinot noir", "chardonnay" e "riesling".

Em Auckland, capital da Nova Zelândia, nota-se claramente a importância cultural assumida pelo vinho na cidade. Os restaurantes adotaram o "BYO" ("bring your own"), ou seja, "traga sua própria garrafa", e permitiram ao cliente levar o seu próprio vinho pagando somente a taxa de rolha. Essa prática popularizou o consumo do vinho, e os restaurantes se concentraram em suas cozinhas ("core business").

Pode-se provar, em Auckland, comida da Tailândia, Índia, Taiwan, Vietnã, China, Japão, Coréia e Mongólia. Os vinhos brancos se adaptam melhor a essas cozinhas.

A palavra "Kiwi" abrange três acepções mais usuais em Nova Zelândia: a fruta, a ave (símbolo nacional) e os habitantes e tudo originário desse país.