Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



ENDIVIDAMENTO DAS FAMÍLIAS

O endividamento das famílias brasileiras é um dos menores do mundo, de acordo com a 8ª edição do documento ´Economia brasileira em perspectiva´ divulgado pelo Ministério da Fazenda (DCI, São Paulo, 22 out. 2010, p. B1).

2.O endividamento das famílias brasileiras em crédito imobiliário e consumo corresponde a 29,3% do total da renda familiar, com base em 2008.

3.No Reino Unido, essa proporção chega a 181,4%; nos EUA, 131,6%; na Alemanha, 98,3%; na Itália, 72,1%.

4.Ainda de acordo com o mesmo documento, o crédito no Brasil, em proporção ao PIB, ainda é baixo. A estimativa para 2010 é essa proporção chegar a 48%. Nos EUA, a proporção é de 187%; no Reino Unido, 155%; na Índia, 78%; na China, 74%.

5.O Brasil corre sério risco de enfrentar o superendividamento das famílias, avalia a Serasa Experian. Há falta de dados sobre o perfil das dívidas das famílias e da capacidade de pagamento. Nos últimos 5 anos, o número de brasileiros com dívidas superiores a R$ 5 mil nas instituições financeiras saltou de 10 para 25,7 milhões, de acordo com o Banco Central. O volume de dívidas dos brasileiros corresponde a 39,1% da renda, ainda de acordo com o Banco Central. O comprometimento da renda para o pagamento dos débitos é de 23,8%. Nos EUA, é de 17% (Folha de S. Paulo, São Paulo, 24 out. 2010, p. B1).

6.O Brasil tem 191,4 milhões de linhas de celulares, com base em set. de 2010. A Vivo tem participação de 30,14%; Claro, 25,47%; Tim, 24,52%; e Oi, 19,51%. O Ceará alcançou a marca de 7,2 milhões de celulares, sendo 6,5 de pré-pagos (Diário do Nordeste, Fortaleza, 23 out. 2010, Negócios, p. 11).

7.A tarifa de celular do Brasil é a mais alta entre emergentes, de acordo com estudo das Nações Unidas. Por um mesmo pacote cobrado em média por US$ 46,50 nos demais países, o brasileiro paga acima de US$ 120 (Folha de S. Paulo, São Paulo, 16 out. 2010, p. B17).

8.Já se fala em 8%. As previsões econômicas de crescimento estão aumentando. Mas este crescimento esconde vários desajustes, entre os quais: o desequilíbrio das contas públicas e o déficit em conta corrente. A maior fonte de preocupação é o gasto excessivo, sem nenhum horizonte de enfrentamento do problema, alerta Mírian Leitão (Diário do Nordeste, Fortaleza, 09 out. 2010, Negócios, p. 10).

9.O Brasil deverá importar 700 mil carros em 2010, ante 100 mil em 2005. As exportações deverão alcançar 700 mil em 2010, ante 900 mil em 2005. O déficit do setor é de US$ 5,7 bilhões. O Brasil é 4º maior mercado consumidor e apenas o 6º maior produtor. A diferença está sendo suprida por importados (id.).