Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



PERFIL DAS EXPORTAÇÕES

O preço do minério de ferro subiu mais de 100% neste ano e as exportações do produto atingirão US$ 20 bilhões, correspondente a 12% de nossa balança comercial, observa Mírian Leitão (Diário do Nordeste, Fortaleza, 30 jul. 2010, Negócios, p. 7).

2. O aumento de preço (continua Mírian Leitão) é resultado da demanda chinesa. A China tornou-se altamente dependente da importação de minério de ferro. Não tem o mineral de boa qualidade e precisa dele para os fortes investimentos em infraestrutura.

3. As três maiores mineradoras do mundo (Vale, BHP Bilinton e Rio Tinto) impuseram novo sistema de reajustes às siderúrgicas.

4. Na primeira metade do século XX, um outro produto se agigantou nas vendas para o exterior: o café.

5. Minério de ferro, petróleo e soja representarão 30% das vendas externas brasileiras em 2010.

6. Qualquer mudança no instável mercado de ´commodities´ afetará nossa balança comercial, alerta José Augusto de Castro, vice-presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil – AEB.

7. Em mais de 30 anos, pela primeira vez as matérias-primas vão superar os manufaturados.

8. O perfil de nossas exportações está mudando com o aumento da participação dos produtos básicos.

9. Em 1998, a venda de matérias-primas representava 25% das exportações. Em 2010, atingirá 43%, de acordo com as projeções. Já a participação dos manufaturados cairá de 57% para 40%.

10. Dos dez produtos mais vendidos em 2010, nove são ´commodities´. Dos vinte, treze.

11. É da vocação do Brasil ser grande produtor de ´commodities´, quer metálicas, quer agrícolas. Não é exportação de segunda categoria. Mas o melhor seria se o País estivesse removendo os gargalos da infraestrutura, incentivando a inovação tecnológica e ampliando a diversidade das exportações, analisa Roberto Segatto, presidente da Associação Brasileira de Comércio Exterior – Abracex.

12. Um dos pontos fortes do Brasil é a diversificação de sua economia. A próxima década será muito promissora para a área de ´commodities´, porquanto a Ásia continuará a demandar mais alimentos, minério e petróleo. Além disso, o setor de serviços financeiros deverá crescer bastante, graças à elevada capacitação de seu capital humano, avalia Kenneth Roggoff, professor de economia em Harvard (Exame. São Paulo: Abril, n. 971-E, jul.-2010, p. 38).

13. Açúcar, café e laranja asseguram ao Brasil a liderança no ´ranking´ mundial de produção e exportação agrícola, segundo levantamento do Departamento de Agricultura dos EUA – USDA (sigla em inglês), com base em 2008. O País é: 1º lugar na produção de açúcar, café e suco de laranja congelado; 2º lugar na produção de soja, carne bovina, tabaco e etanol; 3º lugar na produção de aves e milho; e 4º lugar na produção de suíno (DCI, São Paulo, 14 jul. 2010, p. B10).