Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

Rio de Janeiro, 15 nov. 1889, sexta-feira. Movimento de militares e civis decreta a deposição da dinastia imperial e, consequentemente, a extinção do sistema monárquico-representativo. No mesmo ato de proclamação, o movimento institui o Governo Provisório sob a chefia do marechal Manoel Deodoro da Fonseca. Ainda no mesmo dia, o Governo Provisório assina o Decreto nº 1 da República.

2. Nasce a República dos Estados Unidos do Brasil, depois de 67 anos da monarquia.

3. Imperador por 49 anos, d. Pedro II, 64 anos, é avisado por telegrama. Retornou à Capital, mas não conseguiu salvar o Império. A República já estava decidida, disse o marechal Deodoro aos seus prepostos. O imperador é notificado a deixar o País com sua família em 24 horas.

4. O regime monárquico caiu praticamente sem violência alguma. Os canhões alinhados diante do Quartel-General da Guerra, onde estava reunido o Ministério sob a presidência do visconde de Ouro Preto, só foram disparados para celebrar a vitória do movimento republicano. A tropa do Quartel-General simplesmente abriu as suas portas e fraternizou-se com o marechal Deodoro. Não houve resistência. Restou aos ministros a formalização de seu pedido de demissão ao imperador.

5. D. Pedro II galgou o trono aos 15 anos. É lembrado como homem de conciliação e sábio. O seu reinado foi de progresso econômico e social. O Brasil contava com ferrovias, enorme rede telegráfica, serviço de telefone na Capital. Começava a aparecer a luz elétrica. Além da Guerra do Paraguai, o imperador enfrentou várias insurreições. Nos últimos meses, sofria problemas de saúde. Era diabético (Jornal do Senado - uma reconstituição histórica. Brasília: Senado Federal, 16 nov. 2009).