Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



CRISE MUNDIAL & BRASIL

Nos EUA, a crise é um tsunami. Aqui, vai chegar uma marolinha, não vai dar nem para esquiar. Presidente Lula em 04 out. 2008.

O Brasil tem um grande, moderno, lucrativo e bem capitalizado setor bancário. Os bancos brasileiros têm conseguido um desempenho muito bom nos últimos meses, e podemos, sem dúvida, tirar lições desse modelo. Essa é uma das razões pelas quais convidamos o Brasil e outros países emergentes a tornarem-se membros do Fórum de Estabilidade Financeira, um espaço criado em 1999 para diretores de bancos centrais, ministros e autoridades de órgãos internacionais trocarem informações (Veja, São Paulo: Abril, n. 2.105, 25 mar. 2009, p. 17).

A economia mundial está levando uma surra, mas o Brasil tem chance de escapar, embora com escoriações e pode ser um dos primeiros a sair da crise (´O Brasil e a crise mundial´. Veja, São Paulo: abril, n. 2102, 04 mar. 2009, p. 82).

undefined undefined2. undefined undefinedSão as razões do otimismo: 1ª) reservas de US$ 200 bilhões; 2ª) bancos competentes, com baixa exposição a riscos e provisionados contra calotes; 3ª) ausência de bolhas de crédito e imobiliária, com potencial de crescimento nesses setores; 4ª) mercado interno forte, em fase de crescimento do poder de compra e em proporção da população; 5ª) matriz energética mais ´verde´ do mundo, com independência do petróleo importado; 6ª) estabilidade política; 7ª) estabilidade econômica e arcabouço regulatório imperfeito, mas previsível; 8ª) maior exportador de alimentos do mundo, condição a garantir vendas externas volumosas em qualquer cenário; 9ª) mercado externo diversificado, com compradores em todo o mundo e mercadorias de crescente valor agregado; e 10ª) as mesmas projeções a apontar estagnação no mundo estimam crescimento do PIB do Brasil em 2009 (id.).

undefined undefined3. undefined undefinedNo Brasil, a principal fonte de preocupação é no tocante aos gastos públicos. Nos últimos cinco anos, as despesas da máquina pública aumentaram. O Brasil gasta em excesso e mal, e o espaço para ajustes é pequeno. O descontrole dos gastos públicos de péssima qualidade, em detrimento dos investimentos, tornou-se a principal vulnerabilidade do País (id.).

undefined undefined4. undefined undefinedO fluxo de capital estrangeiro acusou saldo positivo em fev. de 2009 (US$ 841 milhões), após quatro meses de saldo negativo (out., nov. e dez.-2008 e jan. 2009) (Folha de S. Paulo, São Paulo, 05 mar. 2009, p. B1).

undefined undefined5. undefined undefinedO Brasil já está rolando mais de 60% da dívida externa privada numa melhora após as operações terem caído a cerca de 20% em out.-2008, diante da crise global (Valor, São Paulo, 09 mar. 2009, p. C3).

undefined undefined6. undefined undefinedO Brasil não é o foco desta crise. Não tem nada na nossa estrutura econômica e financeira dando origem à crise. Muito pelo contrário, estávamos progressivamente criando mecanismos internos, incluindo os de natureza política, para ter uma taxa de crescimento mais acelerada, quando fomos surpreendidos por esta crise de origem externa. Os nossos problemas são de outra natureza. Temos de lidar com as repercussões internas de uma crise externa e com uma questão ainda não resolvida: as contas públicas. As contas públicas do Brasil continuam sendo deficitárias, afirma Edmar Bacha (Valor, São Paulo, 13 mar. 2009, Eu & fim de semana, p. 4).

undefined undefined7. undefined undefinedO Banco Central do Brasil, conforme Comunicado nº 18.161, de 11 mar. 2009, reduziu de 12,75% para 11,25% a.a. a meta para a taxa Selic a partir de 12 mar. 2009. O Comitê de Política Monetária – Copom emitiu a seguinte nota: "Avaliando o cenário macroeconômico, o Copom decidiu, neste momento, reduzir a taxa Selic para 11,25% a.a., sem viés, por unanimidade. O Comitê acompanhará a evolução da trajetória prospectiva para a inflação até a sua próxima reunião, levando em conta a magnitude e a rapidez do ajuste da taxa básica de juros já implementado e seus efeitos cumulativos, para então definir os próximos passos na sua estratégia de política monetária.” O Copom voltará a reunir-se em 28 abr. 2009.

undefined undefined8. undefined undefinedNa BM&F, a taxa do ´swap´ de 360 dias (DI para vencimento em abr./2010), o juro básico do mercado financeiro privado, caiu e fechou em 9,95% em 12 mar. 2009. Pela primeira vez em sua história, esse contrato encerra o dia abaixo de 10%, em um dígito (Valor, São Paulo, 13 mar. 2009, p. A1).

undefined undefined9. undefined undefinedO Brasil está em melhor forma do ponto de vista macroeconômico e de fundamentos financeiros, em comparação há dez anos. Mas, num mundo com recessão severa, todos sairão machucados. O Brasil é uma vítima acidental deste tsunami de liquidez. A economia brasileira deverá ter crescimento ligeiramente negativo este ano, e a recuperação depende não só do comportamento do País, mas também de como se sairá a economia mundial, observa Nouriel Roubini, economista, professor da Universidade de Nova Iorque (Valor, São Paulo, 12 mar. 2009, p. C16).

undefined undefined10. undefined undefinedA atual crise financeira mundial, a mais aguda desde a década de 1930, iniciou-se no setor imobiliário norte-ameriano em 2007 e aprofundou-se sobretudo a partir do terceiro trimestre de 2008, em face da quebra do banco de investimento Lehman Brothers, quando se instarou forte instabilidade nos mercados financeiros e acentuada contração nos mercados internacionais de crédito. Num segundo momento, constatou-se desaceleração brusca no nível de atividade econômica global. A crise será menos dramática no Brasil por vários fatores, dentre eles as boas condições de capitalização do sistema financeiro, sem exposição a ativos ligados ao segmento de hipotecas ´subprime´; a existência de um setor bancário público, por meio do qual se evita mais forte contração do crédito; e as reservas internacionais da ordem de US$ 193 bilhões, além da dívida pública em queda (36,01% do PIB, ao final de 2008). Mudanças na regulamentação tenderão a tornar os mercados menos instáveis e arriscados em momentos de incerteza, assinala o relatório da administração de 2008 da BM&F Bovespa S.A. – Bolsa de Valores, Mercados e Futuros (Valor, São Paulo, 18 mar. 2009, p. A15).

undefined undefined11. undefined undefinedNo âmbito da BM&F Bovespa S.A. – Bolsa de Valores, Mercados e Futuros, de acordo com o relatório da administração de 2008, a crise mundial acarretou queda nos volumes de contratos no Segmento BM&F: o total da média diária dos contratos caiu de 1,74 milhão de contratos em 2007 para 1,57 milhão em 2008. Na área do Segmento Bovespa, em face da queda nos preços das ações negociadas, ocorreu forte redução da capitalização de mercado das empresas listadas: de R$ 2,47 bilhões em 2007 para R$ 1,37 bilhão em 2008 (Valor, São Paulo, 18 mar. 2009, p. A15).

undefined undefined12. undefined undefinedNão obstante os bons resultados macroeconômicos observados em 2008, a crise econômica internacional não deverá permitir ao Brasil manter o mesmo ritmo de crescimento em 2009. Mas o País conseguirá enfrentar os atuais momentos difíceis com mais tranqüilidade, em comparação com outras épocas, quando a economia brasileira era muito mais vulnerável a choques externos, afirma o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES (´Relatório da administração´. Valor, São Paulo, 18 fev. 2009, p. A15).

undefined undefined13. undefined undefinedO advento da crise econômica americana, espraiada por vários países no último trimestre de 2008, não chegou a provocar efeitos negativos no desempenho do BNB, dada a sua forte atuação nos financiamentos de longo prazo, cuja demanda continuou firme e em expansão. O BNB contratou operações no valor global de R$ 13,3 bilhões em 2008, ante R$ 7,4 bilhões em 2007, crescimento de 77,7%, conforme registra o relatório da administração de 2008 (Diário do Nordeste, Fortaleza, 18 fev. 2009, Negócios, p. 26).

undefined undefined14. undefined undefinedO tombo nas cotações da Bovespa foi feio, notadamente levando–se em conta o pico histórico de 73.516 pontos do Ibovespa. Mas entre os escombros há muitas oportunidades para quem tem os olhos no longo prazo. Muitas empresas podem ser consideradas baratas atualmente. Das 438 empresas listadas na Bovespa, 143 contam com valor de mercado inferior ao patrimônio líquido, das quais 14 fazem parte do Ibovespa. Nos EUA, desde a recomendação de Warren Buffett aos americanos para investirem em ações, por meio de artigo de outubro de 2009 no ´The New York Times´, as cotações caíram mais de 25% com base no índice S&P-500 (principais papéis da bolsa americana). Para um investidor, só há uma coisa pior que perder dinheiro na bolsa. É perder o ´timing´ quando chega a bonança. O difícil é identificar esse momento (Exame. São Paulo: Abril, n. 938, 11 mar. 2009, p. 25).

undefined undefined15. undefined undefinedQuando o Lehman Brothers quebrou em 15 set. 2008, o crédito travou e o interbancário congelou. Muita coisa melhorou desde então, mas o mercado ainda tem travas. A decisão do Conselho Monetário Nacional – CMN de facultar a emissão de recibos de depósitos a prazo com garantia especial do Fundo Garantidor de Créditos – FGC, adotada por meio da Resolução nº 3.692, de 26 mar. 2009, ainda é reação ao desembarque da crise no País. O CMN tenta induzir os grandes investidores a aplicar nas instituições de menor porte e, ao mesmo tempo, levar essas instituições a emprestar às pequenas e médias empresas, observa Mirian Leitão (Diário do Nordeste, Fortaleza, 28 mar. 2009, Negócios, p. 11).

Newton Freitas
Presidente do Conselho Diretor da Associação de Bancos do Estado do Ceará (ABANCE)
< http://www.newton.freitas.nom.br/ >
newtonfreitas@terra.com.br