Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



A LINGUAGEM DE DEUS

O primeiro traçado do mapa da sequência do genoma humano foi anunciado em 26 jun. 2000 por Bill Clinton, então presidente dos EUA, em solenidade realizada em 26 jun. 2000 no salão Leste da Casa Branca. Trata-se do mapa mais importante e mais extraordinário já produzido pela humanidade, disse Clinton em seu discurso. Com esse mapa estamos aprendendo a linguagem com a qual Deus criou a vida, complementou Clinton.

2. Elaboramos o primeiro traçado do nosso manual de instruções, anteriormente conhecido apenas por Deus, assinalou na ocasião Francis S. Collins, diretor do Projeto Genoma Humano a partir de 1992 (James Watson, um dos descobridores da hélice dupla do DNA, dirigiu os dois primeiros anos do Projeto; a conclusão dos objetivos do Projeto, envolvendo mais de duzentos cientistas, veio a ser anunciada em 14 abr. de 2003 por Collins).

3. O genoma humano é formado por todo o DNA (abreviatura de ´deoxyribonucleic acid´) de nossa espécie. É o código de hereditariedade da vida. O traçado revelado em jun. de 2000, escrito num código composto de quatro letras, apresentava 3 bilhões de letras. A complexidade das informações contidas em cada cédula do corpo humano é impressionante.

4. A estrutura do DNA foi descoberta em 1953 por James Watson (autor de `A hélice dupla) e Francis Crick.

5. O DNA é algo como o disco rígido de nosso computador: armazena informações, mas há a possibilidade de alguns ´bugs´ e imprevistos (p. 97) .

6. Podemos pensar no DNA como um manual de instruções, um programa de ´software´, colocado no núcleo de cada célula (p. 109). Sua linguagem de código apresenta somente quatro letras (os dois ´bits´, em termos de informática) em seu alfabeto. Uma instrução particular, conhecida como gene (a parte com as instruções para a fabricação de proteínas), é construída por meio de centenas ou milhares de letras de um código. Todas as funções executadas por uma célula precisam ser dirigidas pela ordem de letras desse roteiro.

7. Temos, cada ser humano, dois genomas, cada um com 3 bilhões de ´pares de bases´ (ou quatro componentes químicos: A, C, G e T), um de nossa mãe e outro de nosso pai. Cada uma dessas bases tem uma forma específica.

8. Podemos imaginar a molécula de DNA na forma de hélice dupla seguida de uma escada de mão retorcida ou recurvada, na qual cada degrau corresponde a um par de bases químicas.

9. O genoma humano abrange 3,1 bilhões de letras do código do DNA arranjadas ao longo de 24 cromossomos (manifestação visível do genoma, cada cromossomo contém centenas de genes) (p. 130).

10. Apenas cerca de 20 a 25 mil genes decodificam proteínas no genoma humano (as proteínas efetuam o trabalho da célula e possibilitam sua integridade estrutural). A quantidade total de DNA utilizado por esses genes corresponde a apenas 1,5% do total. Outros organismos mais simples, como minhocas, moscas e plantas, parecem utilizar cerca de 20 mil genes (p. 131). Os cientistas esperavam encontrar pelo menos 100 mil genes para o funcionamento do corpo humano. Eles se chocaram com o reduzido número de pacote de instruções (Deus escreve histórias muito curtas). Mas nossa complexidade não está no número de instruções, mas na maneira como elas são utilizadas.

11. No nível do DNA, somos todos 99,9% idênticos (p. 131). Fazemos parte de uma família de extraordinária baixa diversidade genética. Somos descendentes de um grupo

comum, de aproximadamente 10 mil iniciantes, com origem provável na África Oriental há cerca de 100 a 150 mil anos (p. 132).

12. O ser humano partilha de um ancestral comum com outras criaturas vivas (p. 139), conforme evidenciam as semelhanças entre nosso genoma e os de outros organismos. Os humanos e chimpanzés são 96% idênticos no DNA (p. 143).

13. A comparação entre as sequências do DNA de chimpanzé e de ser humano, embora interessante, nunca irá esclarecer determinados atributos especiais de humanos, como o conhecimento da Lei Moral e a busca universal do por Deus (p. 146).

14. O conhecimento da diferença do DNA de uma pessoa para outra (a fração mínima de 0,1% do DNA) tem avançado de maneira acelerada (p. 244). Dentro de alguns anos, provavelmente serão descobertas as falhas genéticas mais comuns, fonte de riscos para enfermidades.

15. O embrião humano, formado pela união de espermatozóide e óvulo, começa com uma única célula. O humano adulto é formado por 100 trilhões de células (p. 249).

16. O universo teve início num único momento, hoje chamado comumente de ´Big Bang´ (a grande explosão), ocorrida há cerca de 14 bilhões de anos, de acordo com a maioria dos físicos e cosmólogos (p. 71). Com 4,5 bilhões de ano de idade, a Terra ganhou o potencial de abrigar formas de vida por volta de 4 bilhões de anos atrás. Após 150 milhões de anos mais tarde, o planeta achava-se com vida em abundância.

17. Para deístas, como Einstein, Deus iniciou todo o processo, porém, em seguida, deixou de prestar atenção aos desenvolvimentos posteriores.

18. Para o teísta, guiado pelo argumento da Lei Moral, Deus não só enxerga o universo em movimento, mas também se interessa pelos seres humanos. Referência bibliográfica: Collins, Francis S. ´A linguagem de Deus: um cientista apresenta evidências de que Ele existe´. São Paulo: Ed. Gente, 2007.

NOTAS

(1) Genoma é todo o DNA contido no núcleo de uma cédula reprodutiva. Nos homens, em seus espermatozóides; nas mulheres, em seus óvulos (´Revolução genômica´. São Paulo: Instituto Sangari, 2008, p. 61).

(2) Genes são trechos especiais da molécula de DNA contendo instruções para o funcionamento das células do organismo (id., p. 66).

(3) Cromossomos são moléculas de DNA muito condensadas para caberem no núcleo das células. Cada núcleo contém 23 pares de cromossomos, isto é, 23 do pai e 23 da mãe, ou 46 moléculas de DNA, formando 6,4 bilhões de bases (id., p. 79).

(4) Proteínas são compostos químicos responsáveis por uma infinidade de tarefas. Os genes contidos no DNA orientam as células a fabricar proteínas (id., p. 77).

OBESIDADE – Ao analisar o DNA de 38.759 pessoas de origem européia, pesquisadores do ´Centro de Genética Humana do Wellcome Trust´, em Oxford, Reino Unido, descobriram: 1) cerca de metade das pessoas possuíam uma das cópias do gene FTO alterada (essas pessoas nasceram sob um risco 30% maior de se tornarem obesas); 2) cerca de um sexto das pessoas possuíam as duas cópias do gene FTO alteradas (essas pessoas nasceram sob um risco 70% maior de se tornarem obesas). Todas as pessoas possuem, em cada uma de suas cédulas, duas cópias de seu genoma. Há um componente genético claro na obesidade, afirma Mark McCarthy, líder da pesquisa. Esse componente pode dar uma resposta para a pergunta: ´Eu como a mesma coisa que meu vizinho e faço exercícios como ele, então porque sou mais gordo?´ (Folha de S. Paulo, São Paulo, 13 abr. 2007, p. A16).