Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



SUCESSO

SUCESSO - Não existe segredo para enriquecer, diz Carlos Slim, o homem mais rico da América Latina. As oportunidades aparecem e você as aproveita, avalia Slim. Ele aconselha: As pessoas devem tentar realizar o trabalho de seu gosto. As pessoas devem procurar as áreas nas quais sua vocação e seu talento façam diferença. É fundamental ser paciente. É vital manter o otimismo sempre. Desde meados do século passado, as bases materiais de nossa civilização estão passando por alterações profundas. A transformação da sociedade agrícola em sociedade industrial e tecnológica produziu novas formas de comunicação, de informação e conhecimento. O sucesso estará do lado de quem souber incorporar-se a essa nova civilização. (Veja, São Paulo, n. 1823, 08.out.2003, p. 11).

É impossível ser bem-sucedido sem errar, mas algumas pessoas têm a capacidade de aprender depois, e outras negam, pois não olham seus erros com lucidez, interpreta Carlos Ghosn, brasileiro, presidente mundial da Nissan (“Liderança de resultado”, Você S.A., n. 66, São Paulo, dez.2003, p. 54). “Essa é a grande diferença entre quem vai ter resultados e quem não vai”, diz Ghosn. Ele conclui: “Se você está atento, não vai deixar um erro ser fatal”.

Um profissional têm de revelar honestidade, capacidade intelectual e profissionalismo. São intoleráveis a falta de transparência, a falta de humildade e a incompetência. Em resumo, Ghosn não gosta de espíritos burocráticos e de profissionais concentrados mais no esforço que no resultado.

A motivação das pessoas faz a diferença. É, na verdade, a única riqueza da empresa. O maior desafio é como fazer coisas difíceis e manter a motivação das equipes em alta. A visão de futuro é muito importante. As pessoas têm de comprometerem-se com um plano de futuro, evitando ansiedades, falta de motivação, boatos.

A carreira global, explica Ghosn, é uma mistura de culturas, de identidades, de situações sociais. A capacidade de adaptação depende da bagagem cultural. Deve-se respeitar às identidades diferentes, mas também procurar interagir com elas. Ter uma postura ativa e não contemplativa. No Brasil, o profissional apreende o respeito à diversidade de mão-de-obra e a flexibilidade para reagir às mudanças políticas e econômicas.

“Muitas circunstâncias na vida podem fazer-nos bem-sucedido. Você tem de estar no lugar certo, na hora certa, ter a competência certa e, de repente, tudo isso se junta na mesma hora. Não tem receita do bolo”, sentencia Alain Belda, naturalizado brasileiro, presidente do Conselho de Administração da ALCOA, a maior produtora mundial de alumínio, considerado o mais bem-sucedido executivo brasileiro no exterior (Veja, São Paulo, n. 1809, 02.jul.2003).

“Você, claro, tem de trabalhar duro, mais que os outros”, continua Belda. “Contudo tem gente superpreparada, mas trabalhava na Enron quando a companhia quebrou. O sujeito era melhor que eu, porém estava na companhia errada. Todo mundo quer saber qual é a receita do bolo. Não tem. É trabalhar muito e ter sorte.”

“A minha maior sorte na vida foi ter um desafio permanente”, afirma Belda. “Se o sujeito prestar atenção em quando ele está feliz no trabalho, perceberá: é justamente naqueles momentos nos quais está fazendo alguma coisa acima do que achava ele saber fazer.”

“Nessas situações, ele normalmente está trabalhando quase 24 horas por dia e recebe um salário abaixo do merecido, porque estava trabalhando pelo cargo acima. Meu trabalho na companhia é sempre oferecer isso aos funcionários novos: trabalhar muito, mais do que se julga capaz, e estar sendo mal pago para isso. Assim, as pessoas crescem”, ensina Belda.

Mardônio, comandante persa, já no século IV a.C., avaliou o sucesso com muita propriedade: “Nada se realiza por si mesmo, e o sucesso é, geralmente, o preço de um grande esforço.” (palavras de Mardônio a Xerxes, rei da Pérsia e filho de Dario, registra Heródoto).

“Uma empresa bem organizada é quase sempre coroada de sucesso.” (palavras de embaixadores gregos a Gélon, rei de Siracusa, consigna também Heródoto).

São dicas para o sucesso, originárias da sabedoria universal (Marins, Luiz. Livre-se dos “corvos”. São Paulo (SP): Editora Harbra, 2003, 222 p.):

1ª) elogie três pessoas por dia;

2ª) tenha um aperto de mão firme;

3ª) olhe as pessoas nos olhos;

4ª) gaste menos em relação aos ganhos;

5ª) saiba perdoar a si e aos outros;

6ª) trate os outros como gostaria de ser tratado;

7ª) faça novos amigos;

8ª) saiba guardar segredos;

9ª) não adie uma alegria;

10ª) surpreenda as pessoas queridas com presentes inesperados;

11ª) sorria;

12ª) aceite sempre uma mão estendida;

13ª) pague suas contas em dia;

14ª) não reze para pedir coisas; reze para agradecer e pedir sabedoria e coragem;

15ª) dê às pessoas uma segunda chance;

16ª) não tome nenhuma decisão quando estiver cansado ou nervoso;

17ª) respeite todas as coisas vivas, especialmente as indefesas;

18ª) dê o melhor de si no seu trabalho;

19ª) seja humilde, principalmente nas vitórias;

20ª) jamais prive uma pessoa de esperança; a esperança pode ser tudo para essa pessoa.

Vencer pequenas disputas é quase um pré-requisito para vencer as grandes, observa Richard Conniff. Essa talvez seja a razão pela qual os ricos feitos sozinhos competirem tão ferozmente até pelas distinções mais triviais. O “efeito vencedor” das pequenas disputas talvez ajude a pessoa a preparar-se para o sucesso em disputas muito maiores. Segundo os biólogos, o sucesso gera uma resposta alta (de testosterona), a qual gera mais comportamentos de dominação, os quais geram mais sucesso. Todos podem condicionar-se para o sucesso, começando por pequenas vitórias e subindo gradativamente. (“História natural dos ricos”. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004).