Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



HISTÓRIA DO CARTÃO DE PAGAMENTO

O Diners Club, o primeiro cartão de crédito, surgiu em 1950, resultado de experiência implementada por Frank MacNamara, executivo financeiro de Nova Iorque, com restaurante local. Em 1952, o conceito de cartão de crédito ganha novos adeptos e ocorre a emissão do primeiro cartão com validade internacional. Em 1956, o Diners Club é lançado no Brasil. Em 1960, o cartão já estava sendo aceito em mais de 50 países. Em 1966, surgem os cartões Visa e MasterCard. Em 1968, é lançado o primeiro cartão de crédito de banco. Em 1971, ´pool´ formado por 23 bancos lança o Cartão Elo, associado ao cartão internacional BankAmericard. Em 1975, o Diners Club criou o primeiro ´corporate card´, cartão de crédito empresarial. Em 1977, após desfeito o ´pool´, cada banco passou a emitir o seu cartão de crédito. Em 1983, nasce o cartão de débito. Em 1989, surge o primeiro cartão instantâneo de pagamento de benefício do INSS. Em 1990, ocorre a abertura para o cartão internacional. Em 1993, surge o cartão afinidade. Em 1995, nasce o cartão ´co-branded´ (Forbes Brasil, n. 138, São Paulo: Ed. JB, 23 ago. 2006, p. 61).

Há enorme potencial para o cartão de débito continuar crescendo, afirma Erick Luiz, diretor de Produtos da Mastercard, com base em pesquisa realizada pelo Instituto Interscience, por solicitação da Mastercard. O cartão de débito não prejudica o crescimento do cartão de crédito, pelo contrário, pode gerar cultura e ajudar a ampliar a base de usuários dos meios eletrônicos de pagamento. Esse outro ponto importante da pesquisa, segundo Erick Luiz. O dinheiro ainda é a primeira opção de pagamento (60% dos entrevistados), segundo a pesquisa. O cartão de débito é a segunda opção (26%), seguido do cartão de crédito (9%), cheque pré-datado (3%), cheque à vista (2%), crediário (1%) (Forbes Brasil, n. 138, São Paulo: Ed. JB, 23 ago. 2006, p. 60).

A rede Magazine Luíza lança em out.-2006 cartão de crédito para substituir os carnês de compras a prazo, hoje responsáveis por 70% das vendas da empresa. Com a marca Magazine Luíza, o cartão poderá ter as bandeiras Visa ou Mastercard. A meta é a emissão de 2 milhões de cartões nos próximos 2 anos (Exame, São Paulo: Abril, n. 877, 27 set. 2006, p. 16).

O Santander tem uma base de 2,7 milhões de cartões, e apenas 25% dos usuários desses cartões usam o crédito rotativo. Taxa alta é a razão pela qual 75% dos brasileiros titulares de cartão não recorrem ao crédito rotativo. Os clientes potenciais querem juro menor e limite maior de crédito, de acordo com o Santander (Forbes Brasil, n. 138, São Paulo: Ed. JB, 23 ago. 2006, p. 28).