Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



INTELIGÊNCIA FINANCEIRA E APTIDÃO FINANCEIRA

Você não enriquece por cinco razões: 1) medo; 2) ceticismo; 3) preguiça; 4) maus hábitos; 5) arrogância.

Medo - 90% dos americanos passam a ter problemas financeiros porque se preocupam mais em não perder que em ganhar. Fran Tarkenton, grande zagueiro do futebol americano, advertia: "Vencer significa não ter medo de perder." John D. Rockefeller disse: "Sempre tentei transformar cada fracasso em uma oportunidade." Buscar somente a segurança e o equilíbrio em seu "portfólio" de aplicações não é a forma como jogam os investidores bem-sucedidos, os quais no inicío, para progredirem, optaram pelo "foco" em vez do "equilíbrio". Devemos aprender a usar as emoções para pensar e não a pensar com emoções.

Ceticismo - A dúvida não esclarecida e o medo criam o cético. Enquanto os céticos criticam, os vencedores aprendem a administrar o risco. Pessimista, o cético não anda para a frente, pois opta pela segurança e abandona as oportunidades. Encontrar o que os outros não vêem é a chave para qualquer sucesso.

Preguiça - Um pouco de ambição (ou ganância) é a melhor cura para a preguiça. Em vez de "não dá para comprar", adote "como posso comprar isso?"

Maus hábitos - Nossas vidas são mais um reflexo de nossos hábitos que de nossa educação. Um dos maus hábitos do pobre é pagar primeiro todos os outros. O rico, para motivar-se, paga primeiro a si mesmo. Os credores nos obrigam a pensar e a nos tornar mais ativos para trabalhar e buscar outras formas de renda.

Arrogância - Usa-se a arrogância para tentar esconder a própria ignorância. Quando Você for ignorante a respeito de um assunto, comece a instruir-se. A vida humana é uma luta entre a ignorância e o esclarecimento. Ao deixarmos de buscar informações e conhecimento sobre nós mesmos, instala-se a ignorância. Infelizmente para muita gente a escola é o fim e não o início.

Há trezentos anos, a terra era a riqueza (quem possuísse terra possuía a riqueza); apareceram as fábricas e a produção (os industriais passaram a ser os donos da riqueza); hoje é a informação (a pessoa com a informação na hora certa terá a riqueza).

A inteligência financeira se constitui de quatro habilidades: 1) instrução financeira (a capacidade de entender números, demonstrações financeiras e fluxos); 2) conhecimento das estratégias de investimento (a ciência do dinheiro fazendo dinheiro); 3) conhecimento do mercado (oferta e demanda); 4) conhecimento das leis.

Milhões de pessoas instruídas obtêm sucesso em suas profissões, mas depois se deparam com dificuldades financeiras. Sabem como ganhar dinheiro, mas não sabem como gastá-lo. Saber o que fazer com o dinheiro depois de tê-lo ganho revela aptidão financeira. Se as pessoas não são versadas nos tópicos das habilidades da inteligência financeira, tenderão a seguir o dogma padrão: diversificar e só aplicar em investimentos seguros, mas com rendimentos menores.

Robert T. Kiyosaki e Sharon L. Lechter, autores de "Pai Rico Pai Pobre", criadores das expressões "Você se torna o que Você estuda" e "Se Você quiser ficar rico, Você precisa de uma alfabetização financeira", nos formulam estes ensinamentos e nos questionam: "Se a maioria de Vocês faz um hambúrguer melhor do que o do McDonald's, como pode ser que o McDonald's ganhe mais dinheiro do que Vocês?"

Eles mesmos respondem: "O McDonald's é um ótimo sistema de negócios." Explicam: "A razão pela qual tantas pessoas talentosas são pobres é que elas se concentram na preparação de um melhor hambúrguer e sabem muito pouco sobre sistemas de negócios."