Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



OS PECADOS CAPITAIS E O CORPO E A MENTE

Os sete pecados capitais foram enumerados pelo papa Gregório Magno, no século VI. A característica desses pecados não é a sua gravidade, mas a sedução exercida sobre as pessoas, observou São Tomás de Aquino. São extremamente desejáveis e por eles um homem comete muitos outros pecados. Representam os pontos fracos mais comuns do ser humano. Mexem com desejos e frustrações. Alimentam o embate eterno entre vício e virtude, comenta Estanislau de Freitas (Folha de S. Paulo, São Paulo, 21 abr. 2005, Folhaequilíbrio, p. 6).

Nenhum deles é virtude. São todos vícios, pois caracterizam exagero. A qualidade de vida e a boa saúde física e mental passam pelo equilíbrio dos sentimentos e das ações, observa Mario Sergio Cortella, filósofo, professor titular do Departamento de Teologia e Ciência da Religião da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. A virtude está no meio, ensinou Aristóteles na Grécia Antiga, lembra Cortella.

AVAREZA – A avareza tem a ver com a auto-estima. A pessoa tem medo da perda e retém dinheiro e bens. Além disso, não se valoriza e não investe em si ou em seu bem-estar, analisa Elisa Maria Parayba, psicóloga, professora de psicologia da USP.

GULA – Discipline o seu regime alimentar. Evite os produtos não recomendados para a saúde. Procure reduzir o nível de ansiedade.

INVEJA – Deixe de olhar para os outros e se valorize. Admire, mas não inveje. Procure conhecer-se. Fonte e frustração, a inveja é a raiz de toda a violência. A pessoa quer destruir a outra por não ter e não ser, diz Joaquim Lopes Alho Filho, psiquiatra.

IRA – Controle sua fúria. Conte até dez para não explodir. Cultivar a ira é encomendar problemas de saúde (crises alérgicas, gastrites, úlceras, hipertensão arterial, trombose, ataque do coração). A raiva, extravasada ou não, causa danos. Às vezes, o modo como você extravasa pode estressar as pessoas em volta e piorar a situação. Para desabafar, o melhor é enfrentar racionalmente a situação estressante. O risco de somatização de doenças fica reduzido quando a pessoa lida com o sentimento ou tem uma explicação para ele.

LUXÚRIA – No Brasil, a luxúria é vista como um ideal de virilidade masculina. O modelo de homem com muitas parceiras, diz Mirian Golderberg, antropóloga da UFRJ. Pergunte-se sobre seus objetivos e as causas de insatisfação.

ORGULHO – Com medo de parecerem orgulhosas, algumas pessoas deixam de ressaltar suas habilidades. Os orgulhosos devem parar de procurar defeitos fora e olharem para si.

PREGUIÇA – O preguiçoso tem mania de criar metas inatingíveis e as abandona no meio do caminho. Faça lista de prioridades atingíveis.

Não confundir avareza com parcimônia, gula com fartura, inveja com admiração, ira com indignação, luxúria com sexualidade, orgulho com auto-estima, preguiça com descanso, assinala Mario Sergio Cortella.