Digite a palavra-chave

A busca é efetuada em todas as páginas do site e abrange todo o seu conteúdo.
Página principal




ARTIGOS



PRINCÍPIOS DO SUCESSO

Alexandre, o Grande, para alcançar a glória, observou alguns princípios específicos para o sucesso, ministrados por Aristóteles como ensinamentos secretos. Com o domínio desses princípios, chamados em seu conjunto por “Espírito do sucesso” por Alexandre, qualquer um pode atingir os seus propósitos.

Os princípios, se aprendidos e vividos corretamente, podem levar qualquer um dos humanos, ricos ou pobres, homens ou mulheres, feios ou bonitos, ao sucesso.

O sucesso não chega de fora para dentro, por meio da ciência, mas de dentro para fora, por meio da sabedoria. Os princípios reguladores do sucesso também vêm de dentro para fora.

São quinze os princípios, retransmitidos inicialmente por Alexandre para Heféstion:

1) O SONHO – Os líderes são sonhadores. Não vivem presos em gaiolas de medo, de inveja, de egoísmo, de preguiça. O sonho de Alexandre era a glória.

2) O OBJETIVO – O objetivo tira o sonho de dentro do eu e dá-lhe feição concreta e finalidade prática. Sem o objetivo os sonhos continuarão divagações e desaparecerão como fumaça. O segredo para definir-se objetivos é avaliar primeiramente nossas forças e fraquezas. Para alcançar a glória, o objetivo de Alexandre era a conquista da Ásia.

3) A PAIXÃO – Sem a paixão nenhum grande projeto humano tomaria vida. Mas o desafio é controlar as paixões. A falta esfria, o excesso queima.

4) A SABEDORIA – Para ser sábio, o homem precisa de três quartos de sabedoria e um quarto de ciência. Alguns dos melhores da tropa são camponeses e comandam muitos dos egressos das escolas de Atenas, observou Alexandre.

5) O TEMPO – O tempo é a matéria-prima da vida. Os melhores vivem intensamente o presente. Não podem aumentar a quantidade, mas podem melhorar a qualidade de cada minuto.

6) A INTUIÇÃO – Não pode ser ensinada porque é um pré-sentimento. Mas podemos obtê-la naturalmente dentro de nós mesmos, quando estivermos em sintonia com os outros princípios do sucesso.

7) O CUSTO – O sucesso tem um custo como tudo na vida. Se sempre pudéssemos pagá-lo, não conheceríamos o fracasso. O menor custo em relação ao benefício está no ser humano.

8) A ESTRATÉGIA – Para chegar ao cume da montanha, precisamos de um plano para percorrer o longo caminho. Em certos lugares, necessitaremos de criar estradas, em outros, de enfrentar titãs. Os dirigentes de sucesso são bons estrategistas: descobrem opções, otimizam o custo em relação ao benefício, combinam recursos, delegam responsabilidades, cobram resultados.

9) A DECISÃO – A decisão consciente só é possível após a investigação sistemática, ensinada por Aristóteles, ou seja, após a coleta de dados, provas e análises. Do ponto de vista lógico, só podemos errar se tomarmos uma decisão certa, a partir de dados errados, ou se tomarmos uma decisão errada, a partir de dados certos. Mas podemos tomar decisões certas, a partir de dados certos, e falharem por não termos considerado os seres humanos envolvidos. Também podemos tomar decisões certas, a partir de dados errados, ou decisões erradas, a partir de dados certos, e as decisões revestirem-se de sucesso, pois houve o elemento intuição. A tomada de decisão envolve então o equilíbrio entre lógica, sabedoria e intuição. Os líderes reais não se omitem de tomar decisões. Descobrem oportunidades, definem prioridades, selecionam objetivos, estabelecem prazos, escolhem pessoas, assumem riscos e aceitam o preço cobrado pela vida em troca. Consideram o erro uma possibilidade e, quando o detectam, procuram repará-lo de imediato.

10) A AÇÃO – Após a decisão, precisamos agir em relação ao alvo definido. Os líderes sabem aproveitar o seu tempo dando-lhe mais movimento.

11) A PALAVRA – O homem é um animal com razão e linguagem, avaliou Aristóteles. A razão para pensar e a palavra para criar. A palavra é um elo entre o espírito e a matéria, entre um homem e outro, entre o sonho e o real. A escrita é a primeira experiência por meio da qual tiramos a memória de dentro da cabeça e a guardamos fora.

12) A ORIGINALIDADE – A parte mais original do homem está no espírito. A personalidade é o conjunto de características espirituais de cada ser humano. Os espíritos à frente de seu tempo, gênios ou predestinados, desafiam convenções, rompem com o passado e aceitam os riscos. O progresso sempre veio e virá desses espíritos.

13) A CORAGEM – O segredo da felicidade é a liberdade, e o segredo da liberdade é a coragem, disse Péricles. Essência das essências da cultura grega, a coragem ensina a viver a melhor a vida e morrer a melhor morte. A coragem meramente física encontra-se na fera, fruto do instinto. A coragem espiritual só no homem, fruto da consciência. Golpeado pelas dúvidas, ferido pelos temores, derrubado pelos horrores, pisoteado pelos pânicos, esmagado pelas depressões, qualquer um poderá sucumbir. Alguns deixam fantasmas criar vida em suas mentes e ficam tomados de covardia.

14) A EQUIPE – Os membros de um grupo formam uma equipe quando estão ligados por laços psicológicos capazes de dar-lhes um propósito definido. Um dos segredos do sucesso é a delegação de poderes na equipe.

15) A PERSISTÊNCIA – A persistência é a capacidade de resistir, fruto de força de vontade inquebrantável. Ao sermos notados pelos deuses, somos testados. Põem dificuldades em nossas vidas para avaliar nossa força espiritual. Quando a apreciam, tornam-se parceiros e só então nos abençoam.

Felipe, rei da Macedônia, foi considerado louco pelos elevados custos despendidos na preparação de seu filho, Alexandre. Ele trouxe Aristóteles para conduzir a educação. Felipe queria assegurar um lugar de glória para o filho e, se ele o conseguisse, os custos seriam a maior bagatela da história. Da parte de Alexandre, ele prometeu a Felipe envidar os melhores esforços para converter as despesas com sua educação no melhor investimento do pai.

Mais detalhes sobre os princípios do sucesso no livro “O espírito do sucesso”, romance épico baseado na vida Alexandre, o Grande, da autoria de José Augusto Bezerra (Fortaleza: Expressão Gráfica, 2004).